Social icons

Bee Happy: dias assim

13 de novembro de 2018

Passei alguns meses longe do blog e, consequentemente, o projeto ficou atrasado. Pensei em como faria para colocar a par tudo que aconteceu nesses tempos, mas desisti parcialmente da ideia, até porque nem tem tanta coisa relevante assim. Então, num breve resumo: terminei o segundo período de design; tentei uma vaga na empresa júnior de design da Ufal, consegui passar em todas as etapas do processo seletivo, mas resolvi sair bem na última fase porque não estava aguentando com a carga horária, me senti sobrecarregada, percebi que meu emocional ia de mal a pior, e tomei essa decisão difícil. Doeu, passou, e estou melhor, ainda bem. Fui encorajada pelos gerentes a tentar novamente... Quem sabe.


Além disso, meus pais compraram um terreno e estão construindo uma casa perto de um dos locais que eu mais amo fotografar: a praia do Francês. <3 Estamos decidindo se quem vai morar lá é meu irmão ou nós, enquanto isso, vida que segue. Tenho notado que evoluí nos desenhos, mas a vergonha de compartilhar continua presente, rsrs, talvez algum dia role um mini tour pelos meus sketches; algo bom é que as compras vorazes por papelaria diminuíram substancialmente, tenho trabalhado pra não ser uma acumuladora, hehe. A última aquisição, feita em setembro, foi esse conjunto de marcadores da Sinoart que estão me ajudando bastante no curso. O kit de washi tapes foi pedido no começo do ano. Só chegou agora, pra variar.


Em compensação, continuo no frenesi por adquirir plantinhas e nisso não vou me conter em comprar nunca, tô amando ver verde em todos os lugares! Desde o dia que fiz a postagem sobre cuidados com suculentas, as minhas melhoraram muito, um grande alívio por sinal. O problema realmente estava na quantidade de água, que era insuficiente. Agora eu águo um dia sim e um não. Ah, essa fofinha que aparece nas fotografias é da minha mãe, do gênero Peperomia, a espécie eu sempre fico na dúvida, acho que é scandens...


Bom, mas queria mesmo era deixar registrado o que está importando agora. Esse Bee Happy é sobre como estão sendo os meus dias nessas férias e, confesso, em como desejei que eles se perpetuassem um pouquinho mais. O recesso das aulas termina já já, e fico feliz por ter conseguido aproveitar pra descansar muito, estava precisando dormir pelo menos + que 5 horas por dia. Como já havia escrito, eu sentia a mente cansada a ponto de dar um piripaque.


Aproveitei pra colocar minha lista de animes em dia, afinal, a Netflix vem acertando em cheio nos catálogos, yay! Recomendo a série Violet Evergarden, me arrancou várias lágrimas, sim, principalmente o episódio 10. Os filmes Shiki Oriori e Big Fish & Begonia são muito bons também.


Meus estudos de caligrafia estão indo num ritmo bem lento, além das leituras sobre os livros de desenhos, pois tenho dado prioridade aos que os professores estão passando no curso pra não sobrecarregar. Não consigo ler diversos livros ao mesmo tempo e, justamente por não possuir esse dom, me importa mais a qualidade da leitura do que quantidade. Mas o meu velho hábito de ler O Pequeno Príncipe e assistir aos filmes Ghibli nas férias continua por aqui, como de costume.


Outra coisa que tenho tentado fazer, e é de extrema importância para mim, é separar um momento maior pro meu devocional. Com a rotina na Ufal, chego cansada, vou estudar para provas, fazer trabalhos e acabo deixando essa parte tão essencial de lado. Tenho que me monitorar também para não perder horas na internet e colocar isso acima das horas com Deus. Uma postagem me ajudou a enxergar claramente esse fato, inclusive, revelando minhas falhas: Glorifying God in Your Digital Conduct.


Ter dias assim me fez um bem tão grande... E pra completar, descobri uma cantora muito amorzinho no Spotify, Deise Jacinto. As músicas dela são de uma leveza sem igual, dão aquele quentinho no coração e, com certeza, embalaram essas poucas semanas que estive em casa. Se puderem, escutem pelo menos essa. Acho a letra reconfortante, principalmente nessa época conturbada... Bom, não quero e nem vou falar sobre as eleições, decidi me abster porque vi pessoas ao meu redor pregando contra a intolerância, mas praticando a mesma com outras. A letra de "Como deve ser" me fez refletir sobre isso: pois decidi viver como se deve ser, sendo filho de quem eu sou, tentando não errar, perdoando quem falhar, e ouvindo mais quem chorar. 

E é isso. Eu vou crer, independente do que estão dizendo por aí, que dias melhores virão.
Para todos nós.

Abraços. ❤️


Bee Happy é um projeto fotográfico postado todos os meses, no qual 6 fotografias (ou mais) ilustram um resumo deles. Se você desejar fazer parte, será bem-vindo com alegria, basta apenas entrar em contato sobre seu interesse.

São Paulo, Liberdade e aleatórias

3 de novembro de 2018

Depois de ficar um tempo longe do blog, algumas fotos também ficaram perdidas e acumuladas por aí, incluindo as de São Paulo. Eu lembro que tinha separado uma parte delas para essa postagem e outras que iriam para uma outra com fotografias do bairro da Liberdade. Então, enquanto ainda me resta uma semana longe da Ufal, resolvi tirar a poeira do hd de uma vez por todas. Confesso que tenho ficado bem feliz por esse ser o terceiro post seguido, sei que quando as aulas voltarem não será dessa forma, apesar de querer muito ter um bom ritmo e não desaparecer daqui, mas não desejo pensar nem me preocupar com nada disso por agora, somente seguir o fluxo e let it be.


Quando fui à São Paulo em junho desse ano, apenas dois lugares eu fotografei, o parque Ibirapuera e, pela primeiríssima vez, o bairro da Liberdade. No Bee Happy de Junho só postei duas fotos de lá porque realmente queria trazer uma postagem isolada sobre o lugar. As três fotografias acima são aleatórias, do próprio Ibirapuera e redondezas, mas todas abaixo são da Liberdade.


A primeira sensação que tive, quando cheguei ao bairro, foi de estar num lugar totalmente diferente de São Paulo, principalmente pelos edifícios e pessoas. Em segundo plano, me perder em meio às lojas de produtos kawaii, papelaria e mangás, a vontade de comprar tudo foi grande, mas o dinheiro não deu pra muita coisa. Não que os produtos fossem tããão caros, depende mesmo é do local que se compra; algumas lojas tinham preço acessível, outras nem tanto, sem contar que eu também estava ansiosa pras comidinhas, haha, e claro que não me surpreendi quando vi que até as embalagens delas são fofas! <3


Existe um espaço que é uma espécie de recanto, não sei se tem um significado mais especial, mas o ambiente traz uma sensação incrível de paz e leveza. Talvez, ousadamente, eu possa compará-lo da mesma maneira que o Ibirapuera em meio à correria que sempre observo em SP: um refúgio do barulho, do concreto, da movimentação, do caos. Infelizmente eu fiquei tão afoita que me esqueci dos detalhes importantes como o nome e localização, hehe. Mas para quem vai de metrô, ao descer, é só seguir a avenida principal do bairro e ficar de olho no lado direito dela, quando se deparar com as várias plantas e uma entrada convidativa é lá, não tem erro. Uma explicação meio confusa... Perdão, mas essa sou eu dando uma de guia turística. ^^'


Com certeza, conhecer o bairro da Liberdade deveria ser um ponto de parada obrigatória para todos que vão à São Paulo. E, para mim, não há dúvidas que retornarei o quanto antes, visitá-lo foi uma das coisas mais legais que fiz em todas essas idas à cidade, além disso, são tantas novidades para fotografar que acabei não dando conta, haha. Já fica aí uma boa desculpa pro retorno, não é mesmo?! :)

Até breve, pessoal. ❤️

Cuidando de suculentas ou tentativas

2 de novembro de 2018

Hoje foi dia de rega, de desacelerar a rotina, de sentar no chão e sentir a brisa do começo da tarde, apesar do calor que tem feito. Tudo isso ao toque de Desacostumar. Coloquei algumas das minhas filhas no chão, reguei, fiquei lá parada... Observando todas. Uma ou outra têm me preocupado bastante, porque as folhas estão murchas, apesar de eu sempre tentar acertar na quantidade da rega e do sol. Depois de pesquisar um pouco e praticar as dicas lidas, estou até conseguindo ver relevante melhora, entretanto, a preocupação continua aqui, latente. 


Há séculos procrastino essa postagem, principalmente por não ter tido tempo de fotografar. Então, aproveitei que as plantinhas estavam ali, me fazendo companhia, peguei a câmera e comecei a fotografá-las. Esse post não traz apenas um guia para suculentas, mas vários! Depois de tanto buscar, reuni os sites que mais me ajudam a ser uma boa mãe, haha. <3


"O que há de errado com a minha suculenta?" com certeza é o link favorito de toda essa lista. A postagem do blog A Pair and A Spare me salvou nessas últimas semanas, porque - como escrevi anteriormente - percebi que duas das minhas suculentas estavam com as folhas murchas, e eu as estava regando, ao meu ver, da maneira correta. Até que, depois de ler a publicação da Geneva, atentei mais ainda para a quantidade e tempo da rega. Outros links úteis do blog são: Um guia ilustrado para cuidar de suas suculentas e Um guia para propagar suculentas.


Os Mini Mundos também é um espaço voltado à gentileza de nos ensinar a cuidar das plantinhas tudo, rsrsrs. Foi um dos primeiros sites que visitei assim que adquiri as suculentas. Além das dicas, a Babi Vieira vende amuletos botânicos, oferece oficinas e também trabalha com eventos relacionados ao assunto. Separei aqui os dois links que mais me ajudaram: Como cultivar suculentas felizes e saudáveis e Procure por esses sinais para saber quando aguar suas suculentas.


Após arriscar nas várias compras seguidas de suculentas (e coloca "várias" nisso, quase 2 por semana), comecei a procurar como plantá-las, afinal, quando são compradas em supermercados ou lojas do tipo, os vasos em que elas estão depositadas não são tão adequados, na maioria das vezes, e muito menos a forma como são cuidadas. Logo percebi o "grito" delas por uma troca de substrato e espaço urgentemente! 

Mas é claro que nada é tão fácil como dizem por aí, sobre se cultivar essa espécie... As suculentas, assim como outras plantas, precisam ser plantadas de forma correta, caso contrário num piscar de olhos vêm a morrer. Nas andanças pela internet, encontrei três links amorzinhos nesse quesito, e um deles é sobre fazer mudas: Como plantar suculentas, Como plantar cactos em vasos e Fazer mudas de suculentas.


Então, espero que esses sites ajudem vocês o tanto quanto me ajudaram, e caso queiram compartilhar nos comentários as suas experiências ou dicas, livros e outros meios de informação, tenham certeza que tudo será bem-vindo! Sigamos no caminho de espalhar mais verde e amor pela blogosfera. ❤️

Contact

Nome

E-mail *

Mensagem *