Social icons

Algo bem simples

18 de setembro de 2019

Se um dia me perguntassem o que eu mais gosto de fazer, não pensaria duas vezes e diria que é acordar cedo num dia com chuva, ler um livro pela manhã enquanto tomo chocolate ali mesmo, na cama ainda bagunçada, e obviamente registrar o momento. Por mais trivial que possa parecer para alguns, para mim são estes os meus melhores momentos. Não é estar em uma viagem inesquecível, nem fazer algo impossível, mas algo bem simples assim.


Eu meio que fiz desse evento meu próprio "ritual". Infelizmente isso vem se tornando cada vez mais difícil para mim e hoje foi o único dia que consegui depois de não sei quantos meses de correria e caos. Agora estou aprendendo a valorizar melhor.

Hoje eu acordei bem cedinho, aproveitei que não tinha estágio e decidi tirar a última semana de férias pra, no mínimo, reservar uma hora para mim e para o blog. E se tratando dele, é também outro lugarzinho que me faz um bem danado, que morro de saudades! Me sinto leve quando fotografo e escrevo para ele, para vocês. Espero poder voltar a postar pelo menos uma vez por mês, mas não posso garantir nada. De certeza, ele não será desativado, independente do quanto eu suma, sempre retornarei para cá.


As fotos que fiz pela manhã foram mais singelas, sem muita preparação, apenas com objetos que eu estava à mão. Meu livro maravilhoso sobre Monet e uma das minhas suculentas, inclusive, preciso fotografá-las novamente e mostrar aqui o quanto cresceram e encheram seus vasos, tão lindas demais e dá um baita orgulho quando vejo a evolução!
Assim como tem acontecido comigo. <3


Desejo que a semana de vocês seja leve e bonita.
Até mais, pessoal. ❤️

Tempo para tudo

13 de julho de 2019

Eu nunca planejei passar tanto tempo longe do blog. E de certa forma, longe de mim mesma... Afinal, esse espaço faz parte de mim, sendo que a partir do momento em que sento de frente para o notebook, dou uma pausa em tudo, e digito cada palavrinha, esse é o instante que reservo pro meu eu, pras minhas reflexões, pra pensar nos balanços da vida e desaguar aqui.

Mas já faz meses que não é mais assim. Se eu sinto saudades? Muita!!! Todas as vezes que, no meio da rotina corrida, paro pra respirar, lá longe me vêm lembranças desse canto. E, não posso negar, parte de mim chora por isso, entretanto, outra parte fica feliz por ver que não há também espaço pra ociosidade nos meus dias atuais.

Eu tenho me ocupado bastante com os estudos, além disso, consegui entrar para um projeto de pesquisa na universidade sobre fotografia das feiras alagoanas. Também estou em (a grande surpresa) dois estágios remunerados em fotografia de moda. Ainda tô aprendendo esse lado da fotografia, confesso que nunca pensei em trabalhar com editorial de moda, mas a oportunidade surgiu e eu decidi tentar, apesar de ser diferente pra mim, está me rendendo bons ensinamentos.

Durante esses meses todos longe do blog, é claro que eu fiz algumas fotos. Poucas, mas fiz. Estou me organizando pra postá-las devagarzinho mesmo, espero que vocês ainda estejam por aqui quando isso acontecer. <3 Ainda essa terceira semana de julho trarei um post.

E isso, como vocês podem perceber,
não é uma despedida.
Muito pelo contrário.

Até mais, pessoal!

(Bee) Happy New Year

31 de dezembro de 2018

Mais um ciclo se finda. Não sei como fazer um balanço do ano que se passou, ele foi um pouco confuso em alguns aspectos, mas também cheio de tomadas de novas decisões e enfrentamentos. Diferente dos outros anos, creio que 2018 tornou-se um 'separador' do que eu era para o que sou hoje. Com toda a certeza, este ano termina feliz para mim, sinto que tive iniciativas boas e a melhor delas foi escolher ser designer. Vou para 2019 com um alívio no peito, leveza na alma por encarar meus medos, independente se estou errando ou acertando nas demasiadas tentativas, afinal, tudo isto faz parte. Não quero criar expectativas pro que virá, apenas quero deixar fluir. Quero ser eu mesma, acreditando no melhor, mesmo sabendo que as coisas podem não dar tão certo assim.

"Último dia de 2018". Isso já soa tão nostálgico... O dia nem terminou, quer dizer, ainda estou aqui digitando essas palavras, mas o sentimento de saudade está tão presente. Dezembro foi o mês mais relax que tive desde que comecei o curso, acho que pelo fato de termos o período "cortado" por esse recesso festivo. Comecei o terceiro período do curso no fim de novembro, estudei até metade de Dezembro e retorno no dia 21 de Janeiro com provas e trabalhos para serem entregues. É claro que isso significa que passarei as "férias" estudando, haha. Trágico. :'(

Bom, nesse meio tempo iniciei algumas ideias e talvez as compartilhe aqui no blog. Decidi criar um projeto de fotografia mobile, nele eu tiro uma fotografia por dia durante um mês e aplico edição analógica (porque queria muito voltar a fotografar com a Zenit, mas não dá por enquanto). Quero tentar registrar mais meu cotidiano, talvez dê certo, talvez não... Não custa nada tentar, rs. Fiz alguns testes e o projeto mesmo começará próximo mês. Outro projeto é o do meu caderno de desenhos, esse está mais devagar pra que realmente progrida, a primeira ilustração dele é essa em aquarela, no dia que pintei estava desejando estar num lugar exatamente assim.

Ah, esse mês ganhei uma ilustração linda de uma colega. Agora só me falta uma moldura bem bonita pra então colocar na parede do quarto. Teve viagem de Natal com a família, no caminho vi várias florestas de eucalipto <3. Reiniciei meus singelos trabalhos com fotografia nesse blog e também o do bujo no instagram (troquei o user faz uns meses, antes era @planlai) que havia parado. Terminei um dos livros de ilustrações que comprei ano passado; montei uma playlist, que tô amando muito, enquanto editava as fotografias pra essa postagem, e conheci novos perfis lindos no instagram e pessoas maravilhosas aqui no blogger. 

Hum, acho que com isso posso dizer que Dezembro foi bom e bonito.
2019, seja assim também.
Feliz ano, pessoal! ❤️

Bee Happy: dias assim

13 de novembro de 2018

Passei alguns meses longe do blog e, consequentemente, o projeto ficou atrasado. Pensei em como faria para colocar a par tudo que aconteceu nesses tempos, mas desisti parcialmente da ideia, até porque nem tem tanta coisa relevante assim. Então, num breve resumo: terminei o segundo período de design; tentei uma vaga na empresa júnior de design da Ufal, consegui passar em todas as etapas do processo seletivo, mas resolvi sair bem na última fase porque não estava aguentando com a carga horária, me senti sobrecarregada, percebi que meu emocional ia de mal a pior, e tomei essa decisão difícil. Doeu, passou, e estou melhor, ainda bem. Fui encorajada pelos gerentes a tentar novamente... Quem sabe.


Além disso, meus pais compraram um terreno e estão construindo uma casa perto de um dos locais que eu mais amo fotografar: a praia do Francês. <3 Estamos decidindo se quem vai morar lá é meu irmão ou nós, enquanto isso, vida que segue. Tenho notado que evoluí nos desenhos, mas a vergonha de compartilhar continua presente, rsrs, talvez algum dia role um mini tour pelos meus sketches; algo bom é que as compras vorazes por papelaria diminuíram substancialmente, tenho trabalhado pra não ser uma acumuladora, hehe. A última aquisição, feita em setembro, foi esse conjunto de marcadores da Sinoart que estão me ajudando bastante no curso. O kit de washi tapes foi pedido no começo do ano. Só chegou agora, pra variar.


Em compensação, continuo no frenesi por adquirir plantinhas e nisso não vou me conter em comprar nunca, tô amando ver verde em todos os lugares! Desde o dia que fiz a postagem sobre cuidados com suculentas, as minhas melhoraram muito, um grande alívio por sinal. O problema realmente estava na quantidade de água, que era insuficiente. Agora eu águo um dia sim e um não. Ah, essa fofinha que aparece nas fotografias é da minha mãe, do gênero Peperomia, a espécie eu sempre fico na dúvida, acho que é scandens...


Bom, mas queria mesmo era deixar registrado o que está importando agora. Esse Bee Happy é sobre como estão sendo os meus dias nessas férias e, confesso, em como desejei que eles se perpetuassem um pouquinho mais. O recesso das aulas termina já já, e fico feliz por ter conseguido aproveitar pra descansar muito, estava precisando dormir pelo menos + que 5 horas por dia. Como já havia escrito, eu sentia a mente cansada a ponto de dar um piripaque.


Aproveitei pra colocar minha lista de animes em dia, afinal, a Netflix vem acertando em cheio nos catálogos, yay! Recomendo a série Violet Evergarden, me arrancou várias lágrimas, sim, principalmente o episódio 10. Os filmes Shiki Oriori e Big Fish & Begonia são muito bons também.


Meus estudos de caligrafia estão indo num ritmo bem lento, além das leituras sobre os livros de desenhos, pois tenho dado prioridade aos que os professores estão passando no curso pra não sobrecarregar. Não consigo ler diversos livros ao mesmo tempo e, justamente por não possuir esse dom, me importa mais a qualidade da leitura do que quantidade. Mas o meu velho hábito de ler O Pequeno Príncipe e assistir aos filmes Ghibli nas férias continua por aqui, como de costume.


Outra coisa que tenho tentado fazer, e é de extrema importância para mim, é separar um momento maior pro meu devocional. Com a rotina na Ufal, chego cansada, vou estudar para provas, fazer trabalhos e acabo deixando essa parte tão essencial de lado. Tenho que me monitorar também para não perder horas na internet e colocar isso acima das horas com Deus. Uma postagem me ajudou a enxergar claramente esse fato, inclusive, revelando minhas falhas: Glorifying God in Your Digital Conduct.


Ter dias assim me fez um bem tão grande... E pra completar, descobri uma cantora muito amorzinho no Spotify, Deise Jacinto. As músicas dela são de uma leveza sem igual, dão aquele quentinho no coração e, com certeza, embalaram essas poucas semanas que estive em casa. Se puderem, escutem pelo menos essa. Acho a letra reconfortante, principalmente nessa época conturbada... Bom, não quero e nem vou falar sobre as eleições, decidi me abster porque vi pessoas ao meu redor pregando contra a intolerância, mas praticando a mesma com outras. A letra de "Como deve ser" me fez refletir sobre isso: pois decidi viver como se deve ser, sendo filho de quem eu sou, tentando não errar, perdoando quem falhar, e ouvindo mais quem chorar. 

E é isso. Eu vou crer, independente do que estão dizendo por aí, que dias melhores virão.
Para todos nós.

Abraços. ❤️


Bee Happy é um projeto fotográfico postado todos os meses, no qual 6 fotografias (ou mais) ilustram um resumo deles. Se você desejar fazer parte, será bem-vindo com alegria, basta apenas entrar em contato sobre seu interesse.

São Paulo, Liberdade e aleatórias

3 de novembro de 2018

Depois de ficar um tempo longe do blog, algumas fotos também ficaram perdidas e acumuladas por aí, incluindo as de São Paulo. Eu lembro que tinha separado uma parte delas para essa postagem e outras que iriam para uma outra com fotografias do bairro da Liberdade. Então, enquanto ainda me resta uma semana longe da Ufal, resolvi tirar a poeira do hd de uma vez por todas. Confesso que tenho ficado bem feliz por esse ser o terceiro post seguido, sei que quando as aulas voltarem não será dessa forma, apesar de querer muito ter um bom ritmo e não desaparecer daqui, mas não desejo pensar nem me preocupar com nada disso por agora, somente seguir o fluxo e let it be.


Quando fui à São Paulo em junho desse ano, apenas dois lugares eu fotografei, o parque Ibirapuera e, pela primeiríssima vez, o bairro da Liberdade. No Bee Happy de Junho só postei duas fotos de lá porque realmente queria trazer uma postagem isolada sobre o lugar. As três fotografias acima são aleatórias, do próprio Ibirapuera e redondezas, mas todas abaixo são da Liberdade.


A primeira sensação que tive, quando cheguei ao bairro, foi de estar num lugar totalmente diferente de São Paulo, principalmente pelos edifícios e pessoas. Em segundo plano, me perder em meio às lojas de produtos kawaii, papelaria e mangás, a vontade de comprar tudo foi grande, mas o dinheiro não deu pra muita coisa. Não que os produtos fossem tããão caros, depende mesmo é do local que se compra; algumas lojas tinham preço acessível, outras nem tanto, sem contar que eu também estava ansiosa pras comidinhas, haha, e claro que não me surpreendi quando vi que até as embalagens delas são fofas! <3


Existe um espaço que é uma espécie de recanto, não sei se tem um significado mais especial, mas o ambiente traz uma sensação incrível de paz e leveza. Talvez, ousadamente, eu possa compará-lo da mesma maneira que o Ibirapuera em meio à correria que sempre observo em SP: um refúgio do barulho, do concreto, da movimentação, do caos. Infelizmente eu fiquei tão afoita que me esqueci dos detalhes importantes como o nome e localização, hehe. Mas para quem vai de metrô, ao descer, é só seguir a avenida principal do bairro e ficar de olho no lado direito dela, quando se deparar com as várias plantas e uma entrada convidativa é lá, não tem erro. Uma explicação meio confusa... Perdão, mas essa sou eu dando uma de guia turística. ^^'


Com certeza, conhecer o bairro da Liberdade deveria ser um ponto de parada obrigatória para todos que vão à São Paulo. E, para mim, não há dúvidas que retornarei o quanto antes, visitá-lo foi uma das coisas mais legais que fiz em todas essas idas à cidade, além disso, são tantas novidades para fotografar que acabei não dando conta, haha. Já fica aí uma boa desculpa pro retorno, não é mesmo?! :)

Até breve, pessoal. ❤️

Contact

Nome

E-mail *

Mensagem *