Social icons

Bee happy

12 de março de 2016
Eu tinha pensado em algo para não deixar o blog parado o mês inteiro. Pensei e pensei e pensei... Vi que tem muita gente que faz 6 on 6, mas não conheço pessoas para fazerem comigo. Então, resolvi criar uma espécie de projeto próprio, parecido com o 6 on 6, mas esse será composto apenas por mim (ou se alguém mais quiser participar, é só me escrever pra conversar sobre). 

O nome escolhido foi Bee Happy. Durante a semana eu não consigo e nem tenho tempo para fotografar com a câmera, já que passo o dia na universidade, daí as fotos serão tiradas ao final dela: sexta, sábado, domingo, e feriados também. Como é algo novo e que tem de ocorrer mensalmente no blog, optei por criar uma categoria só para o projeto! Na sidebar (ao lado), vocês notarão uma imagem com o escrito 'Bee Happy' e o desenho de uma abelha, é lá que as fotos mensais estarão linkadas.

Descrevendo um pouquinho mais o Bee Happy
Apenas 6 fotos serão postadas: isso me agrada, porque fico sem ter ideia do que fotografar, é aquele antigo papo "Não saio muito de casa e meu espaço se torna limitado e blablablá.".
As fotos podem ser aleatórias ou não: ou seja, podem ser sobre vários assuntos (objetos, natureza, pessoas), e tiradas em diferentes semanas, contanto que ao final do mês existam as 6 fotos para postar. 
Não devem ser repetitivas: um mesmo assunto pode ser fotografado (uma flor, por exemplo), mas o ângulo tem que ser mudado.
Podem ter um tema específico: caso seja alguma data comemorativa, tipo o natal, aniversário e etc.

Agora, finalmente, vamos às fotos desse mês! (o˘◡˘o)



1. Uma coisa que eu adoro é objeto vintage ou retrô. Minha mãe comprou esse bule de estanho, e óbvio que eu amei! Só falta a xícara pra fazer par!
2. Nossa nova integrante, chegou em casa hoje junto com um pé de jasmim, hihi.
3. Essa sou eu apresentando a vocês a nossa plantinha nova: plantinha, leitores; leitores, plantinha! rsrs Ignorem minhas besteiras. :D
4. Esse bichinho fofo e arretado de mâmis (que sou eu, claro) já apareceu por aqui. O interessante é que não sabemos se é macho ou fêmea, acho que é uma mocinha, mas são tantos anos o chamando por 'Lorinho' que não consigo imaginá-lo como uma.
5. Awwwwwwwwwwwwwwwwwwwwwwwwwn! (♡♡) Tem como olhar pro Zeca e não ter essa reação? Se disse sim, meu caro amigo, você tem uma patologia séria chamada "antifofurite". Recomendo que veja esse gif o mais rápido possível. Se o sintoma persistir, um médico deverá ser consultado. ∪・ェ・∪
6. Ele ainda não ganhou um nome, querem me ajudar a escolher? Essa foto foi bem difícil de focalizar, diferente do outro que nós tínhamos, esse é tímido e não gosta de ser fotografado. Ou talvez ele tenha se assustado, o que explicaria a reação de voar incessantemente pra fugir, como se pensasse "Quem é a louca tão perto de mim com o negócio estranho (câmera) no rosto?!".  ⊙_⊙"

Então, espero que tenham gostado da ideia e das fotos. Até o próximo post e um final de semana sereno pro 'cês! (っ˘з˘

Ser feliz em 4 fases

9 de março de 2016

Olá! Primeiro: eu sei que sumi. Ok. Segundo: isso é novidade?! Pois é... Problemas acontecem, e infelizmente ou felizmente (não sei ao certo) eles fazem com que você se afaste das coisas que mais ama, na maioria das vezes. E foi isso que aconteceu comigo. Mas esse intervalo de ausência se tornou diferente pelo motivo de: eu meio que fui obrigada a abandonar certos projetos, como o blog, por exemplo. Não só ele ficou "às moscas", a fotografia, leitura de livros (sem ser os da universidade), e outras metas pessoais foram deixadas de lado. Como eu escrevi mais acima, não foi por vontade minha. Foram os demasiados problemas. Tá, eu sei que todos temos eles e, pra cada pessoa, a situação difícil é complicada no seu próprio nível de tolerância. Eu atingi o meu. Sendo assim, fiquei afastada daqui e de praticamente tudo. O que eu quero dizer com isso? Bom, diante dos ocorridos, eu aprendi e vi que passei por 4 fases, queria compartilhar com vocês... Posso? :)

1. O período de dificuldade torna-se compensatório quando, ao final do seu tempo, a sensação de ter conseguido superá-lo é constatada.
2. Diante disso, posso nomear o próximo passo como período de felicidade que, por sua vez, tem uma amplitude maior que o primeiro citado. De certa forma, o alívio e a leveza de passar por uma tempestade e conseguir sair dela, valem todo o esforço... Só por conta dos novos sorrisos dados, e por absorver a lição de valorizar momentos que antes, por negligência, eu não dava a importância merecida.
3. Logo após, pude presenciar um estado de renovação. Digamos que muita coisa foi aprendida, isso somou-se àquilo que eu antes sabia; e que pensava que sabia mas, na verdade, não compreendia nada de nada, até o instante em que fui 'provada'. Nessa renovação, coisas saíram do lugar, minha alma virou uma bagunça, mas foi organizada. Me livrei de umas velharias, já outras eu pude manter. E novidades chegaram trazendo uma luz aos cantos que estavam escuros. Estes cantos seriam os pensamentos, as atitudes e ações que eu não tinha ideia que era capaz de tê-los. Posso escrever aqui que isso é incrível de descobrir?
4. A dor, que te acompanha em todos os momentos, produz fé, o que faz a 4 fase ser a mais importante. Não que a fé não esteja presente nos outros períodos, ela está, mas é quase num estado adormecido. Creio que nós a despertamos quando atingimos um limiar, que ocorre naquele momento em que vamos 'nos entregar', mas algo te estimula a continuar, confiante de que logo logo a tempestade passa. Não sei como cada um utiliza-se da sua fé e no que a emprega ou há quem a atribui. A minha está firmada em Deus. Isso soa clichê pra alguns? Não me importo. Essa é a minha verdade, na qual eu me agarro com todas as forças. Finalmente, nessa última etapa, percebi que aquela dor que sentia poderia não ser aniquilada, mas amenizada. E muito, tanto que poderia ser até imperceptível. Digamos que, toda vez que algo doía na alma, a minha fé me lembrou do meu Criador, fazendo-me confiar na Palavra dEle. 'Todas as coisas cooperam para o bem daqueles que amam a Deus'. E essas coisas seriam as circunstâncias. Tanto boas quanto ruins. Quero dizer que, independente da situação ser difícil ou não, eu a aceitei. Aprendi (verdadeiramente) que a 'prova' provém de Deus, mas não porque Ele é "mau" (como alguns podem pensar), muitíssimo pelo contrário! É uma forma dEle me ensinar, fazer exercício da minha fé, e me levar a algo melhor. Logo, algo que para mim parecia ser um problema, para Deus era uma solução. Como se fosse necessário aquilo acontecer, para Ele me levar além do que eu entendia.

Não vejam o que escrevi como um desabafo, porque não foi. Quis compartilhar o que muitas pessoas passam, e talvez algumas possam até seguir/concordar com a mesma linha de raciocínio que a minha. Bom, pretendo voltar com pressa, rsrs, mesmo sendo época de prova, quero me esforçar para fotografar mais e ler, e também continuar com as indicações que pensei em postar, como as dicas de aplicativos e redes sociais. Enfim, mesmo a saudade sendo grande, eu acabo o post aqui. Isso é um até breve. Ok?

Contact

Nome

E-mail *

Mensagem *