Social icons

Bee Happy: June and cold days

30 de junho de 2018

Junho se foi e com ele as minhas férias, mas posso dizer que o mês foi bonito e deu pra aproveitar os poucos dias de descanso, inclusive, eu realmente pensei que conseguiria postar mais no blog, porém algo me desanimou bastante ultimamente.

Tenho notado que a qualidade das fotos pro blogger decaíram muito, e eu não sei se isso está acontecendo só comigo ou com mais alguém. Não importa a forma que eu edite, já deixei de publicar três postagens por causa disso, as fotografias continuam saindo meio pixeladas ou com um granulado feio que dói... Eu sempre tenho o maior cuidado e carinho em fotografar, na pós-produção, na edição das postagens, pra quando chegar na hora de publicar ver que absolutamente todas as fotos estão péssimas. Torço pra que tudo melhore logo, mas pelo que tenho notado, isso não ocorrerá. A única solução que encontrei, e mesmo assim não posso chamar de solução mas opção, é de apenas publicar fotos no formato de paisagem e nenhuma mais em retrato, a não ser que seja uma colagem de duas fotografias em retrato, porque assim elas ficam pequenas e não dá pra perceber muito, acho que talvez esse seja um dos últimos posts com fotos em retratos grandes. :(

Colocando um pouco essa insatisfação de lado, eu mencionei nos posts passados que iria passar uns dias em São Paulo. Aproveitei bastante o frio e nem preciso comentar que amei passear pela cidade nesse clima. Apesar das bochechas congelando com o vento gelado, fui na Liberdade pela primeira vez (até agora estou morrendo de amores por cada uma das lojinhas desse bairro incrível) e no Ibirapuera de novo.
Quero me organizar melhor durante a semana para trazer o restante das fotografias tiradas em uma série de postagens, mesmo que não tenha fotografado na quantidade que queria, hehe. Bom, espero que o mês de vocês tenha sido lindo e que Julho possa ser melhor ainda. Obrigada pelo carinho nos últimos comentários, já comecei respondendo os das publicações antigas, e em breve respondo os demais. Até logo. ❤️

Bee Happy é um projeto fotográfico postado todos os meses, no qual 6 fotografias (ou mais) ilustram um resumo deles; atualmente é composto por Laís (criadora), Laryssa e Laura. Se você desejar fazer parte, será bem-vindo com alegria por nós, basta apenas entrar em contato sobre seu interesse.

Crescer e enfrentar medos

7 de junho de 2018

Enquanto escutava Shiver, da Lucy Rose, me peguei pensando na quantidade de vezes que senti medo desde o começo do ano. Foram inúmeras. Medo do futuro, do novo, de não conseguir fazer algo, medo das coisas darem errado, medo do incerto... E eis o meu maior medo: de tentar. Eu sou aquela pessoa que antes mesmo de praticar algo já pensa que tudo vai ser terrível. Nada que eu fizer, ou melhor tudo, nunca será bom o suficiente (pra mim mesma). A tal da insegurança e do perfeccionismo sempre estão ao meu redor, me rondando, e me sinto uma presa fácil pra ambos...

O título desse texto seria "O que aprendi no 1º período de Design", mas pensando bem, o grande destaque aqui não é nem o que aprendi, mas os desafios que enfrentei ao longo do semestre. Nos registros abaixo estão desenhos do personagem que criei para a matéria Linguagem e Expressão Gráfica como trabalho para obtenção de nota da segunda avaliação bimestral. Coincidentemente (ou não), a história do meu personagem é sobre enfrentar o medo. No instagram, cheguei a postar um rascunho na votação sobre qual nome poderia dar a ele, gentilmente me ajudaram e o nomearam por Gaspar.

Gaspar é um boneco de neve que desejava conhecer mais sobre as flores e a primavera, mas logo descobre que isso não será possível por conta da sua condição, o gelo não se conservará a tempo de vê-las. Obviamente, ele fica triste, amedrontado, angustiado, mas há um instante em que se aparta da ideia de prosseguir cabisbaixo e decide aproveitar o que lhe é proposto no inverno. Em meio aos seus tenros devaneios, mal sabe que tem uma alma primaveril em si.

A proposta avaliativa pedia três pranchas expressivas em a3 que contassem a história do personagem; eu só tirei fotografia de apenas uma, que é essa prancha técnica com emoções e os perfis do Gaspar, além de ter um bônus contando um pouquinho da conversa entre ele e um pássaro. As outras duas pranchas carregam a outra parte da história: na segunda folha, desenhei o Gaspar sonhando com a primavera enquanto nevava; e na última a3 desenhei o início da primavera no chapéu dele - repleto de várias espécies de flores dentro - que estava repousando sob uma poça de água (ele derreteu </3), dessa maneira, quis passar a minha visão do próprio Gaspar compondo a primavera. Ele queria tanto conhecê-la, mas ao mesmo tempo carregava uma parte dela consigo, mesmo sem imaginar isso.


Assim como diante do meu personagem havia uma barreira, diante de mim muitas foram colocadas (a maioria eu coloquei, admito). É engraçado pensar nas coisas que já passaram e que agora nem parecem ter sido tão tenebrosas assim, se eu tivesse tido mais calma e confiança... Para criar o Gaspar, só conseguia visualizar empecilhos e acabava me fazendo uma auto-sabotagem. "Não tá bom", "Nunca vou conseguir", "Essa história está horrível e clichê", "Eu não sei desenhar, não tenho criatividade e nunca usei aquarela, como dou conta de tudo isso?"... Esses foram alguns dos monstrinhos que me rodearam até a entrega do trabalho. No fim, apesar de todas as reclamações comigo mesma e de achar que não conseguiria terminar, eu terminei. Terminei e estava aliviada, mas não tão confiante. Uma semana depois, o resultado: a professora gostou muito e elogiou, me deu a nota máxima. Juro que fiquei sem acreditar quando vi a nota e os comentários na ficha avaliativa.

Eu sei que isso tudo não vai acabar por aqui... Mas eu também acredito um pouco mais em mim.
Cresço um tantinho cada dia em conhecimento. E os medos, bom, ficam pequenos.


P.S. Lembram como Mei e Mafalda eram? Elas também cresceram. :)

Contact

Nome

E-mail *

Mensagem *