Social icons

Crescer e enfrentar medos

7 de junho de 2018

Enquanto escutava Shiver, da Lucy Rose, me peguei pensando na quantidade de vezes que senti medo desde o começo do ano. Foram inúmeras. Medo do futuro, do novo, de não conseguir fazer algo, medo das coisas darem errado, medo do incerto... E eis o meu maior medo: de tentar. Eu sou aquela pessoa que antes mesmo de praticar algo já pensa que tudo vai ser terrível. Nada que eu fizer, ou melhor tudo, nunca será bom o suficiente (pra mim mesma). A tal da insegurança e do perfeccionismo sempre estão ao meu redor, me rondando, e me sinto uma presa fácil pra ambos...

O título desse texto seria "O que aprendi no 1º período de Design", mas pensando bem, o grande destaque aqui não é nem o que aprendi, mas os desafios que enfrentei ao longo do semestre. Nos registros abaixo estão desenhos do personagem que criei para a matéria Linguagem e Expressão Gráfica como trabalho para obtenção de nota da segunda avaliação bimestral. Coincidentemente (ou não), a história do meu personagem é sobre enfrentar o medo. No instagram, cheguei a postar um rascunho na votação sobre qual nome poderia dar a ele, gentilmente me ajudaram e o nomearam por Gaspar.

Gaspar é um boneco de neve que desejava conhecer mais sobre as flores e a primavera, mas logo descobre que isso não será possível por conta da sua condição, o gelo não se conservará a tempo de vê-las. Obviamente, ele fica triste, amedrontado, angustiado, mas há um instante em que se aparta da ideia de prosseguir cabisbaixo e decide aproveitar o que lhe é proposto no inverno. Em meio aos seus tenros devaneios, mal sabe que tem uma alma primaveril em si.

A proposta avaliativa pedia três pranchas expressivas em a3 que contasse a história do personagem; eu só tirei fotografia de apenas uma, que é essa prancha técnica com emoções e os perfis do Gaspar, além de ter um bônus contando um pouquinho da conversa entre ele e um pássaro. As outras duas pranchas carregam a outra parte da história: na segunda folha, desenhei o Gaspar sonhando com a primavera enquanto nevava; e na última a3 desenhei o início da primavera no chapéu dele - repleto de várias espécies de flores dentro - que estava repousando sob uma poça de água (ele derreteu </3), dessa maneira, quis passar a minha visão do próprio Gaspar compondo a primavera. Ele queria tanto conhecê-la, mas ao mesmo tempo carregava uma parte dela consigo, mesmo sem imaginar isso.


Assim como diante do meu personagem havia uma barreira, diante de mim muitas foram colocadas (a maioria eu coloquei, admito). É engraçado pensar nas coisas que já passaram e que agora nem parecem ter sido tão tenebrosas assim, se eu tivesse tido mais calma e confiança... Para criar o Gaspar, só conseguia visualizar empecilhos e acabava me fazendo uma auto-sabotagem. "Não tá bom", "Nunca vou conseguir", "Essa história está horrível e clichê", "Eu não sei desenhar, não tenho criatividade e nunca usei aquarela, como dou conta de tudo isso?"... Esses foram alguns dos monstrinhos que me rodearam até a entrega do trabalho. No fim, apesar de todas as reclamações comigo mesma e de achar que não conseguiria terminar, eu terminei. Terminei e estava aliviada, mas não tão confiante. Uma semana depois, o resultado: a professora gostou muito e elogiou, me deu a nota máxima. Juro que fiquei sem acreditar quando vi a nota e os comentários na ficha avaliativa.

Eu sei que isso tudo não vai acabar por aqui... Mas eu também acredito um pouco mais em mim.
Cresço um tantinho cada dia em conhecimento. E os medos, bom, ficam pequenos.


P.S. Lembram como Mei e Mafalda eram? Elas também cresceram. :)

9 comentários

  1. Eu tô muito feliz que você acredita um pouco mais em si Lai! Sei que você consegue fazer tudo o que quiser porque você é uma das pessoas mais dedicadas que eu já conheci! Você é luz! E essas fotos estão ainda mais incríveis! Amo a sua edição! Não conhecia a Mei e a Mafalda mas achei elas maravilhosas!

    Beijos!!

    https://goodvaibes.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  2. Que feliz que conseguiu desenvolver seu trabalho. Que bom que o enfrentamento te trouxe mais conhecimento de si própria. A gente sabe o quanto o medo pode ser paralisador. Que bom que você decidiu não deixa-lo paralisa-la. Aos poucos, com enfrentamentos diários, a gente cresce um pouquinho por dia. E que ilustração mais linda! história encantadora! Um grande abraço!

    ResponderExcluir
  3. Estou passando por um momento parecido, de autosabotagem e extrema dúvida. Quando paramos pra pensar em todos os desafios da vida que achávamos que não conseguiríamos superar e no final conseguimos, parece que sempre exageramos as situações. Mas parece inevitável, né?
    O Gaspar ficou incrível e me identifico muito com ele.

    do cristal

    ResponderExcluir
  4. esse ano está sendo assim por aqui. medos, inseguranças, por aí vai. concluir uma graduação (e nas minhas condições) está sendo mais difícil do que imaginei. a calma sempre será a chave de tudo, acredito muito nisso. inclusive, agora, lembrei das nossas conversas e amei saber no que a sua coragem resultou <3 siga sempre.

    ResponderExcluir
  5. Olá! Seus posts são tão amorzinhos! Já gosto de passar por aqui (apesar de quê não comento rs) Mas me identifiquei com este em específico, porquê eu era desse mesmo jeito que você falou: Tinha medo de várias coisas, ainda tenho. Mas digamos que esse post me deu um empurrãozinho para enfrentar sabe. Mas acredito que o medo faz parte do ser humano, mas em excesso é que não é muito legal. Apareça mais por aqui. Amo "ler-te". ♥ Beijo grande pra você. ♥

    ResponderExcluir
  6. Owwwn. Que historinha mais linda e que personagem mais fofinho. ^^ Confie mais em você. Nem sempre é fácil mas faça isso. Você irá se sentir bem melhor. É importante acreditarmos na nossa capacidade. Achei seu desenho uma gracinha. ^^
    Beijinhos

    ResponderExcluir
  7. Que SENSACIONAL essas metáforas tão intensas e repletas de lições que vieram com o personagem. Ai, quero abraçar essa postagem. Ela deixou o coração tão quentinho!

    semquases.com

    ResponderExcluir
  8. AAAAH, que coisa linda! Fico feliz demais de ver seu trabalho lindo - que fofura de história e que desenhos incríveis!
    Amei o post - é delicioso ver você enfrentando os medos e percebendo que muitas vezes o seu maior obstáculo é a gente mesmo que coloca, né?
    Que venham maistrabalhos lindos, aprendizados e muito mais confiança em você mesma - você é incrível!
    Beijos!
    A Menina da Janela

    ResponderExcluir
  9. Fiquei super feliz de ler isso, terminei com um sorriso no rosto e até me emocionei.
    Por que maltratamos tanto a nós mesmas? Eu tento ter um carinho, sabe, com as coisas que faço, mas aí vem esses monstrinhos e me perturbam, mas assim como você, apesar de tudo eu vou lá e faço, porque melhor é fazer algo que você acha que vai ficar mediano, na sua concepção óbvia de si mesma, do que não fazer e desistir. Afinal, por mais que o resultado não seja positivo, no caso o seu foi, ótimo, você contornou os desafios, você terminou o processo e tentou, isso vale MUITO!!

    Semana passada eu fiz uma inscrição para uma Revista local, não sou jornalista, escrevo para a internet em lugares que não tem muita audiência, mas cara, fiz meu portfólio e entreguei, porque mesmo sabendo que é puta difícil concorrer com o pessoal de Comunicação, eu fiz a minha parte, só isso me deu mais gás pra estudar pra essa loucura de enem e finalmente entrar em Jornalismo. Essa pequena atitude me deu mais confiança, entende?

    Continue indo, mesmo com medo e não acreditando muito.
    Amei seu desenho e a concepção por trás dele ♥
    xero
    https://leayasnaya.blogspot.com

    ResponderExcluir

Contact

Nome

E-mail *

Mensagem *